quinta-feira, dezembro 29, 2016

F**k 2016

Agora que o ano de 2016 se aproxima do fim, tem sido crescente a tendência de o considerar um péssimo ano, um ano terrível, cheio de tragédias tamanhas e mortes em barda. Já no ano passado tinha, de certa forma, reparado no surgimento, ainda que ténue, dessa tendência. Onde? No Livro das Caras, pois claro. Esse grande Muro das Lamentações, à beira do qual se ateiam várias Fogueiras de Vaidades e onde o RIPanço se espalha qual vírus. Tudo isto é viral, tudo isto é rede social, para o bem e para o mal.
Revejo-me pouco nestas redes sociais e respectivas tendências, especialmente quando são regurgitadas de forma histérica e descontrolada. Todavia, numa coisa estou de acordo. 
2016 foi realmente um dos piores anos de sempre. No que a mim diz respeito. 2016 espancou-me, depois de me atropelar. O que não me mata, torna-me mais forte, é costume dizer-se. Pois, também como se costuma dizer, só o Tempo o dirá se assim é. O Tempo cura tudo. Dizem.
Desejo fortemente que este ano, e inerentes recordações e mazelas se afoguem no pântano do Tempo, de forma a que, daqui a algumas décadas, só as boas memórias, as recordações carinhosas, venham à tona e ali fiquem para devida contemplação e deleite. Tudo o resto, que se afogue no lodo mais escuro e peçonhento que houver disponível.
A mera operação matemática 2016+1=2017, não significa, só por si, e infelizmente, grandes mudanças. Mais do mesmo decerto. Mas também mais vontade de me esforçar por mudar. Se não o Mundo, se não as pessoas, Eu próprio.

terça-feira, dezembro 13, 2016

2017

Já agora, despacho este também!
2016: que o diabo te leve. 2017: viva 2018!

segunda-feira, dezembro 12, 2016

É Natal...

...trálálá.
Chegou, portanto, o momento de mais um post derrogatório relativo à quadra. Mas, este ano, não tenho paciência. É Natal, trálálá! As renas cagam no estábulo. O Pai Natal tira macacos do nariz. Os duendes estão atrás do barracão a fumar droga. Hurra! Done. Next.

segunda-feira, novembro 28, 2016

Issues

You seem to have major malfunction issues
But it's too late, too late now, or so it seems
The wheels were set in motion a long time ago, while you were looking away
Nothing more to do now than bear the brunt of it
Keep a stiff upper lip and deal with it
Disguise and pretend,
With smiling teeth,  it'll be ok...
Not that there's someone paying attention anyway

Gunther Dünn

quinta-feira, novembro 24, 2016

quarta-feira, novembro 23, 2016

Baby S

Simone ao colo ainda em convalescença. Não me deixa pôr os videos em pausa...sempre que o faço insta-me veementemente à maneira dela, a voltar a pô-los a tocar. Abana a cabeça e bate palmas. Olha para o cabelo do tio Dave e Cia e puxa pelo meu...deve ser para ver se cresce...

sexta-feira, novembro 11, 2016

terça-feira, novembro 08, 2016

Aceitação

1 a 30 de Novembro de 2016

Carta da Lontra
As palavras-chave para este mês são: sensualidade; fusão; família; brincadeira
Deixe de querer controlar tudo – renda-se.
Então acha que está no controle da situação, não é? ... Bem, isso é algo que todos têm tendência para pensar, a maior parte do tempo.
Este esforço para manter o controle, é mais frequente, com base no medo, condicionado e nascido de muitas experiências onde testemunharam outros que estavam fora de controle.
Foi assustador, perigoso, e talvez mesmo um tesouro na vida, pode ter a certeza de que agora não há mais perigo e que está segura(o). Pode deixar de controlar de forma segura.
Deixar de lado o controle não significa desistir, nem baixar os braços derrotada(o). Em vez disso, render-se significa libertar quaisquer tentativas de forçar a acção e o coração, e aceitar a direcção do Espírito. Na aceitação, a sua vontade torna-se a Vontade do Espírito, e a vida flui muito mais facilmente, para si e através de si.

segunda-feira, novembro 07, 2016

It's Probably Me


If the night turned cold and the stars looked down
And you hug yourself on the cold cold ground
You wake the morning in a stranger's coat
No one would you see
You ask yourself, who'd watch for me
My only friend, who could it be
It's hard to say it
I hate to say it, but it's probably me

When your belly's empty and the hunger's so real
And you're too proud to beg and too dumb to steal
You search the city for your only friend
No one would you see
Ask yourself, who'd watch for me
A solitary voice to speak out and set me free
I hate to say it
I hate to say it, but it's probably me

You're not the easiest person I ever got to know
And it's hard for us both to let our feelings show
Some would say I should let you go your way
You'll only make me cry
But if there's one guy, just one guy
Who'd lay down his life for you and die
I hate to say it
I hate to say it, but it's probably me

When the world's gone crazy and it makes no sense
There's only one voice that comes to your defense
And the jury's out and your eyes search the room
And one friendly face is all you need to see
If there's one guy, just one guy
Who'd lay down his life for you and die
I hate to say it

I hate to say it, but it's probably me

sexta-feira, novembro 04, 2016

quinta-feira, novembro 03, 2016

British Lion


extravagâncias da meia idade...

segunda-feira, outubro 24, 2016

Forever Failure

You must feel frustration 
Cause your mind feels such temptation 
And your ways appear a total lack of faith 
 You may feel elation 
At your body's re-creation 
And that joy you need, restricted by one thought 
Are you forever loss of purpose in a passive life 
Are you forever pale, regarded as a waste of time 
High times are courageous 
But in truth they suit no purpose 
Induced, reduced, unable and afraid 
 Can you feel rejection 
And a lack of motivation 
And the joy you need restricted and delayed


domingo, outubro 23, 2016

sexta-feira, outubro 14, 2016

Tomorrow Never Comes


I've been climbing my way through the sky
Searching for answers that I'll never find
Losing my breath as I fall
Learning to fly, letting go of it all
Learning to fly, letting go of it all

I've been trying to open my eyes
Take it all in as the world passes by
Getting lost in the twists and the turns
Finding these questions inside me still burn
Finding these questions inside me still burn

I'm gonna live like tomorrow never comes
There's no end in sight, tonight we black out the sun
Better hold on tight, before you know it's gone
And live like tomorrow never comes

I keep looking for some kind of sign
Trying to hold on in this race against time
I can't say where the next bend might be
That is the beauty in life's mystery
That is the beauty in life's mystery

I'm gonna live like tomorrow never comes
There's no end in sight, tonight we black out the sun
Better hold on tight, before you know it's gone
And live like tomorrow never comes

There's no end in sight, for tonight we black out the sun

quinta-feira, outubro 13, 2016

.

Those who can't do, teach.
Those who can't talk, shut the hell up.

terça-feira, setembro 27, 2016

Conquer or Die!

The mood for these days... 

segunda-feira, setembro 26, 2016

The Flood



While we run from it sharks roam the shoreline...

sexta-feira, setembro 23, 2016

Y

domingo, setembro 18, 2016

sábado, setembro 17, 2016

segunda-feira, agosto 22, 2016

segunda-feira, agosto 08, 2016

sábado, agosto 06, 2016

quarta-feira, julho 27, 2016

Alvorada

Alguém perguntou, noutro sítio, qual era o nosso primeiro pensamento de manhã ao acordar. Eu, que sempre fui um tipo de acordar cedo e, em geral, bem disposto e basicamente pronto, e um gajo que precisava de poucas horas de sono para recuperar, vejo-me confrontado com a realidade destes últimos, vá lá, quatro anos. Tenho sono, estou cansado, preciso de mais. Até o flagelo do "dormir no sofá alarvemente" já me acontece. Portanto, de manhã, em geral, o que penso quando o despertador toca é isto:




sábado, julho 23, 2016

PSII

sexta-feira, julho 22, 2016

PS