quinta-feira, dezembro 31, 2015

Carry On-2016


Encerrando Ciclos 

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. 

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? 

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. 

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem connosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. 

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. 

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu génio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais. 

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceites, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. 

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Gloria Hurtado

quarta-feira, dezembro 23, 2015

F**k Xmas!



Fuck Christmas!
It's a waste of fucking time
Fuck Santa
He's just out to get your dime,
Fuck Holly and Fuck Ivy
And fuck all that mistletoe
White-bearded big fat bastards
Ringing bells where e'er you go
And bloated men in shopping malls
All going Ho-Ho-Ho
It's fucking Christmas time again!
Fuck Christmas
It's a fucking Disney show
Fuck reindeer And all that fucking snow
Fuck carols
And fuck Rudolph
And his stupid fucking nose
And fucking sleigh bells tinkling
Everywhere you fucking goes
Fuck stockings and fuck shopping
It just drives us all insane.
Go tell the elves
To fuck themselves
It's Christmas time again!


lol

sábado, dezembro 19, 2015

quinta-feira, dezembro 17, 2015

segunda-feira, dezembro 14, 2015

domingo, dezembro 13, 2015

Hilfe

Vacation time! Holyday season! Everyone is sick, 'tis a season to be gloomy! May the patience of Mother Teresa, the resilience of Mahatma Gandhi and the wisdom of Master Yoda, all converge upon me.

sábado, dezembro 12, 2015

sexta-feira, dezembro 11, 2015

Tough Times Don't Last


From a desperate place
How do I reach you
You know I scare myself
These crazy nights without you
And I feel your pain
When I see you cry
We can turn it around now
You're my reason to try
We've all seen some trouble
But we've always come through
You know things could get better
Hey babe believe me
Tough times don't last
Lovers do
Baby don't give up
On me and you
Cause trouble's just a storm
That's gonna pass
Tough times don't last
We can work so hard
Til’ we feel the strain
We can get so close
It's the distance
We can't explain
Still I reach for you
In the pouring rain
Like a change in the weather
Here comes the sun
Things could only get better
Hey babe believe me
Tough times don't last
Lovers do
Baby don't give up
On me and you
Cause trouble's like a storm
That's gonna pass
Tough times don't last
You say now that your heart is breakin'
From the wild times that you've lived
Better measure the risks that you're taking
Hey babe it can only get better
Tough times don't last
Lovers do
Baby don't give up
On me and you
Cause trouble's like a storm
That's gonna pass
Tough times don’t
Tough times don't last
Lovers do
Me and you

Believe me baby





quinta-feira, dezembro 10, 2015

JJ



quarta-feira, dezembro 09, 2015

terça-feira, dezembro 08, 2015

sexta-feira, dezembro 04, 2015

quinta-feira, dezembro 03, 2015

Libertad


Quisiera ser audaz
Navegas hacia le horizonte
Surcar las olas del mar

Sentir el viento en mí
Dominar la tempestad
Tener por rumbo las estrellas

Buscar mi sueño
donde el cielo aun sea azul
Viajar sin miedo a naufragar
Y una bandera solo izar

Libertad

Olvidar que el destino me engaño
que mi vida se escapo
perdida entre los muros
del destierro

Olvidar mi tormento y mi dolor mi lamento y mi prisión
zarpar poniendo rumbo
rumbo al las estrellas

Rumbo al las estrellas
Poder volar allí

Y aunque la noche se apodere de la luz
Buscare mi libertad
Más allá de las estrellas

Quisiera ver la mar
Elevarse hacia la luna
Mirar su danza
escapar

Poder volar allí
Acercarme a su amistad
Bailar con ellas aunque mueran

Buscar mi sueño
donde el cielo aun sea azul
Viajar sin miedo a naufragar
Y una bandera solo izar

Libertad

Olvidar que el destino me engaño
que mi vida se escapo
perdida entre los muros
del destierro

Olvidar mi tormento y mi dolor
mi lamento y mi prisión
zarpar poniendo rumbo
rumbo al las estrellas
Rumbo al las estrellas
Poder volar allí

Rumbo
Rumbo
Rumbo a las estrellas
Poder volar allí
Rumbo a las estrellas
Rumbo a las estrellas
Volar a las estrellas

terça-feira, dezembro 01, 2015

c o n t r o l

"The desire to be in control, the illusion of being in control, and the hope of being in control are all based on the megalomaniacal belief that you know when and what the outcome should be."

Gangaji

sábado, novembro 28, 2015

pray

Let me not pray to be sheltered from dangers, but to be fearless in facing them.
Let me not beg for the stilling of my pain, but for the heart to conquer it.

R.Tagore

sexta-feira, novembro 27, 2015

quinta-feira, novembro 26, 2015

Presence

"Unease, anxiety, tension, stress, worry — all forms of fear — are caused by too much future, and not enough presence. Guilt, regret, resentment, grievances, sadness, bitterness, and all forms of nonforgiveness are caused by too much past, and not enough presence". 

Eckhart Tolle

terça-feira, novembro 24, 2015

segunda-feira, novembro 23, 2015

Daredevil


Depois disto, como olhar para os outros da mesma maneira?

quarta-feira, novembro 18, 2015

terça-feira, novembro 17, 2015

Gamma Ray



Muito se tem debatido a eventual morte do heavy metal no início dos anos 90. Porque aconteceu? O que a causou? Seria inevitável? Na ausência de respostas concretas a estas questões, talvez seja mais fácil fazer uma pergunta um pouco mais básica e direta – será que o metal morreu realmente na altura em que os Nirvana lançaram o «Nevermind» e explodiram na MTV e nas tabelas de vendas por esse mundo fora?

Depois de ouvir «Heading For Tomorrow», o álbum que marcou a estreia dos GAMMA RAY em 1990, ou qualquer outro lançamento assinado por bandas como Blind Guardian, Kamelot ou Angra entre 1990 e 1995, torna-se rapidamente óbvio que o alegado enterro do som eterno nunca passou de um mito engendrado pelos departamentos de promoção das grandes editoras. No início da década de 90, a fonte criativa da New Wave Of British Heavy Metal tinha secado e a fusão de hard rock e glam, que uns anos antes florescia na Sunset Strip de Los Angeles, já tinha queimado os últimos cartuchos.

Em 1991, com o lançamento do colossal «Black Album», os Metallica colocaram o derradeiro prego no caixão do thrash. Isso são factos irrevogáveis. No entanto, havia muito a acontecer na cena. Na Europa, os Helloween começavam a afirmar-se como um dos mais interessantes nomes do som pesado mais tradicional e, com a sua genial mistura de speed metal e melodias orelhudas, criaram as pedras basilares para o power metal – como o conhecemos hoje – com a edição dos dois lendários tomos de «Keeper Of The Seven Keys». Nada interessado em deixar-se encurralar criativamente ou ser sufocado pela visão artística em túnel da indústria discográfica, o guitarrista Kai Hansen, força criativa da banda de Hamburgo até então, decidiu deixar o projeto que tinha fundado em 1978 e, pelo caminho, salvou o heavy metal da estagnação a que parecia estar inevitavelmente destinado. 

Se alguém se dirigir a Kai Hansen e lhe disser que foi o grande responsável por manter o heavy metal vivo durante os anos 90, o mais provável é que sejam confrontados com uma risada. No entanto, a verdade é que, desde que formou os GAMMA RAY em 1989, o músico alemão desempenhou um papel crucial na preservação de um som que, sem a sua música e a de todos aqueles que foi influenciando ao longo das décadas, poderia perfeitamente ter caído no esquecimento. Durante as últimas duas décadas e meia, Hansen e companhia assinaram sucessivas declarações de intenção no que toca à sua própria filosofia musical. A estreia «Heading For Tomorrow» continuou o brilhante trabalho que tinha feito com os Helloween; «Land Of The Free» continua a ser considerado um marco do metal melódico veloz e a sua sequela, «Land Of The Free II», editada mais de uma década depois, não lhe fica a dever nada. Pelo meio, fica uma coleção de títulos incontornáveis, entre os quais se contam «Somewhere Out In Space», «Powerplant», «No World Order!», «Skeletons In The Closet», «Majestic» e, já nesta década, os explosivos «To The Metal!» e «Empire Of The Undead», do ano passado. 

Chegados a 2015, basta olhar para trás para perceber que os GAMMA RAY não são apenas "mais uma banda". Aplaudidos em uníssono pela sua leal e entusiasta base de seguidores, há poucos festivais de renome em que não tenham tocado já perante multidões rendidas, há poucas revistas internacionais que não os tenham colocado na capa pelo menos uma vez e a banda de Hamburgo continua a ser uma verdadeira instituição do heavy metal, que nunca repousou sobre os louros conquistados e continua em busca de novos desafios. O mais recente chama-se «The Best (Of)» e pretende reunir num disco-duplo tudo o que de melhor fizeram ao longo da sua valorosa carreira. É precisamente esse também o mote da Best Of The Best – Party Tour 2015, digressão de celebração dos primeiros 25 anos dos GAMMA RAY que vai trazer o quarteto de regresso a Portugal... O embate acontece nos dias 15 e 17 de Novembro no Porto e em Lisboa, no Hard Club e no Paradise Garage respetivamente. 

BIOGRAFIA GAMMA RAY 
Em 1988, depois de ter passado quatro anos com os Helloween, que havia fundado em 1978 com a designação Gentry, o guitarrista (e principal compositor) Kai Hansen decidiu deixar a banda e formar o seu próprio projeto com os seus amigos de longa data Ralf Scheepers (na voz), Mathias Burchardt (na bateria) e Uwe Wessel (no baixo). No início a intenção não era criar outra banda, mas as primeiras gravações de estúdio correram num ambiente tão descontraído que as intenções do músico acabaram por mudar... E, assim, nasceram os Gamma Ray. 

Em Janeiro de 1990 é lançado o álbum «Heading For Tomorrow», que atingiu de imediato grande sucesso na Alemanha e no Japão. Enquanto os Helloween mudavam de pele com o controverso «Chameleon», Kai manteve-se fiel ao som que o tornou famoso anos antes: power metal melódico e bombástico com letras positivas e um trabalho de guitarra fantástico. Na sequência da saída de Burchardt pouco depois das gravações, a estreia ao vivo foi adiada vários meses e aconteceu já com Uli Kusch no seu lugar e após a edição do EP «Heaven Can Wait» em Setembro de 1990. 

Esses primeiros concertos – que marcaram também a estreia do segundo guitarrista Dirk Schlächter – foram um sucesso, sobretudo no Japão, dando origem ao documentário «Heading for the East», filmado em Tóquio. Em Fevereiro de 1991, os músicos começam a trabalhar no segundo álbum e, sob a batuta do produtor Tommy Newton, gravam «Sigh No More», editado em Setembro desse ano. Apesar da orientação mais depressiva, resultado da Guerra do Golfo que estava a acontecer na altura, o disco foi um sucesso e deu origem a uma tour mundial de 50 datas. No início do ano seguinte, trocam de secção rítmica, com os novatos Jan Rubach e Thomas Nack a substituirem Uwe e Uli. A trabalhar na construção do seu estúdio, o grupo só voltaria a gravar em 1993, com «Insanity & Genius» a chegar aos escaparates em Junho. Segue-se mais uma digressão muito bem-sucedida... E outra grande mudança, com a saída de Scheepers. 

À semelhança do que tinha feito nos Helloween, Hansen acumula as funções de guitarrista e vocalista, estreando-se na posição com «Land Of The Free», um majéstico álbum conceptual que deixou a imprensa e o público em êxtase. Sem perderem tempo, lançam de seguida o EP «Silent Miracles» e o álbum ao vivo «Alive '95», que antecedem, no Verão de 1996, a saída de Jan e Thomas. 

Composto apenas por Dirk (que entretanto tinha mudado de novo para o baixo) e Kai, «Somewhere Out In Space» foi antecedido pela edição de outro EP, «Valley Of The Kings», ambos gravados com Daniel Zimmermann na bateria e Henjo Richter na guitarra. O que se sucede depois é uma sequência de registos e digressões de grande sucesso, com «Power Plant» de 1999, a regravação de material antigo «Blast From The Past» de 2000, «No World Order!» de 2001, o ao vivo «Skeletons In The Closet» de 2003 e «Majestic» de 2005 a manterem o nome dos Gamma Ray bem vivo. Já em 2007, é editado «Land Of The Free II» (a esperada sequela do muito aplaudido álbum de 1995) e juntam-se aos Helloween para uma digressão como co-headliners. Três anos depois lançam o décimo álbum de estúdio, «To The Metal!» e, em 2012, Zimmermann abandona após quinze anos de colaboração, sendo rapidamente substituído por Michael Ehre. Encontrada a estabilidade necessária, gravam «Empire of the Undead» na Primavera de 2014 e, já em Janeiro deste ano, foi disponibilizada a compilação «The Best (Of)», que reúne 25 dos seus temas mais emblemáticos e que serve de mote à Best Of The Best – Party Tour 2015.

segunda-feira, novembro 16, 2015

Apesar de tudo...

...saudades!!! :) 

domingo, novembro 15, 2015

I spy with my little eye

 

Fim de semana dedicado ao update cinematográfico, em ano de James Bond.

sábado, novembro 14, 2015

sexta-feira, novembro 13, 2015

Thin Lizzy Riding a Black Star


Os Black Star Riders vão passar por Lisboa para um concerto único dia 13 de novembro no Paradise Garage. A banda irá apresentar o mais recente álbum “The Killer Instinct” lançado em fevereiro de 2015. 
 Em 2010 Scott Gorham anunciou o regresso dos Thin Lizzy com alguns dos elementos que fizeram parte da banda. Contudo, após um período de digressões entre 2011 e 2012, o grupo anuncia que o disco não seria lançado em nome dos Thin Lizzy e que um novo nome ia surgir. Black Stars Riders, foi assim que se apresentaram aos fãs e lançaram o seu primeiro álbum “All Hell Breaks Loose”, em maio de 2013. 
O êxito da nova banda foi facilmente alcançado graças ao já conhecido sucesso dos seus elementos, Scott Gorham com todas as encarnações do Thin Lizzy desde 1974 e com 21 Guns, Ricky Warwick com The Almighty, Robbie Crane com Ratt, Damon Johnson com a sua banda Brother Cane, e Jimmy DeGrasso que trás consigo na bagagem várias atuações com Megadeth, Suicidal Tendencies, “White Lion” e Alice Cooper.

quinta-feira, novembro 05, 2015

quarta-feira, novembro 04, 2015

guerra

Conversa de WC, hoje de manhã entre um pai exausto e ensonado e uma filha com a carga toda:

O pai sopra e bufa, cansado logo de manhã.
- Que se passa pai? - Pergunta ela com uns grandes e inquisidores olhos.
- Oh filha, - responde o pai com um meio sorriso -  o pai está cansado, sabes?
- Ela franze o sobrolho, sorri e diz - Outra vez?

Conversa real.

segunda-feira, novembro 02, 2015

domingo, novembro 01, 2015

Three Arrows

Three arrows, defiantly protruding from my shoulder. Shot with amazing accuracy and precision, they stand there upright and rigid, just a few inches from one another. Each with its own color and shape, so different from one another, but so equal in their purpose. Each belonging to a different marksman, plain to see, but all of them seemingly shot with the same objective. To wound, not to kill. Armed with special reinforced steel tips, they've pierced through me like a hot knife through butter. In and out and there you have it, stuck, like a hook in a fish's mouth. Urgent excision required, but no one capable of doing the deed except me. To find the courage, a previous task, conditio sine qua non of freedom.

Gunther Dünn

quinta-feira, outubro 29, 2015

terça-feira, outubro 27, 2015

-

Nada como continuar o festejo da gloriosa década como continuar a não postar nada! É o festejo minimalista.

quarta-feira, outubro 14, 2015

10 anos

Faz hoje 10 anos que comecei a escrevinhar, a partilhar, a desabafar, a gritar para aqui. Nunca pensei que a bola rodasse tantos anos..... Em 2005 a ideia que tinha disto dos blogs era que tinha sido uma moda de anos anteriores e que, entretanto, tinha-se desvanecido um pouco. Todavia, nesse ano, mais ou menos mês, deu-se um ressurgimento, pelo menos entre o meu círculo de amizades, e "toda a gente" tinha um blog, de tal forma que resisti um pouco a ceder à moda. Mas lá acabei por pôr este estaminé de pé. Entretanto, parece-me que a "coisa" voltou a cair no esquecimento novamente, e só no passado ano, mais ou menos, é que voltou a estar na "berra", pelo menos ouço falar mais de "bloggers" e afins, quase como se fosse uma espécie de profissão. Tudo muito bem, e etc. É, novamente "fashionable" ter um "blogue" e ser um "opinion maker". Apesar de Facebooks, Twitters e sei lá mais o quê. Em geral, parece-me que o Facebook destronou a maioria dos blogs. É natural, o Facebook é mais imediato, mais fácil, mais directo. E não se compadece de ficar à espera que alguém vá ver, é mais agressivo, invasivo e intrusivo. Esfrega as opiniões de todo e qualquer um nas fronhas dos restantes. Easy does it.
Entretanto, a Esfera Oitava continua, mal ou bem, assim, até um dia...
Entretanto, tem sido testemunha de muitos eventos nesta década (!!!) e "barril" para muito desabafo e gritaria. Foi, durante algum tempo uma espécie de "diário de um rapaz solitário", como alguém uma vez me disse. Esteve para ser "apagado", e só não o foi pelo trabalho e dedicação e tempo que investi nele. Agora, naturalmente não tenho tido tanto tempo ou vontade, ou motivo, para escrever tanto, ou o que quer que seja, mas ainda continua a ser o meu "small electric space". 

sábado, outubro 10, 2015

sexta-feira, outubro 09, 2015

Banca do Infarmed


Remédios para a família toda...

quinta-feira, outubro 08, 2015

Growing Up

"Growing Up (Sloane's Song)" 

They say boys don't cry 
But your dad has shed a lot of tears 
They say I should be a strong man 
But baby, I'm still filled with fear 
Sometimes I don't know who I am 
Sometimes I question why I'm here 
I just wanna be a good dad 
Will I be? I have no idea 
They say girls shouldn't be tough 
And moms should raise their kids at home 
But baby, I know that that isn't true 
Cause your momma's the toughest person 
I know I wanna raise you to be like her 
And watch you show the world how to do it on your own 
I'm still tryn figure out who I am 
I don't wanna mess this up or do this wrong 
I'm gonna be there for your first breath 
I don't know if I'll be there for your first step 
I can promise you that I'll try to work less 
But the tour's routed, and I got this album 
Put in so many hours, and I just want the outcome 
To be something that I can look back and I can be proud of 
Don't wanna be a dad that's living in FaceTime 
But I've got a world to sing to and you at the same time 
I won't spoil you, you can trust that 
For your sweet sixteen, you get a bus pass 
Had your heart broken? Been there, done that 
I love you and I can't give you enough of that 
Get back to community that raised you up 
Read Langston Hughes, I suggest "A Raisin in the Sun" 
Listen to Sam Cooke, a change gon' come 
You put the work in, don't worry about the praise, my love 
Don't try to change the world, find something that you love 
And do it every day 
Do that for the rest of your life 
And eventually, the world will change 

I'll be patient, one more month 
You'll wrap your fingers 'round my thumb 
Times are changing, I know, but who am I if 
I'm the person you become
If I'm still growing up, up, up, up 
If I'm still growing up, up, up, up 
I'm still growing up 

I recommend that you read "The Alchemist"
Listen to your teachers, but cheat in calculus 
Tell the truth, regardless of the consequence 
And every day, give your momma a compliment 
Take your girl to the prom 
But don't get too drunk hanging out the limo 
Slow dance with your woman in your arms
Sneak her in after but boy, you better tiptoe 
Don't wake your mom up,do yoga, learn 'bout karma 
Find God, but leave the dogma 
The quickest way to happiness? Learning to be selfless 
Ask more questions, talk about yourself less 
Study David Bowie, James Baldwin and 2Pac 
Watch the sun set with best friends from a rooftop 
Wear a helmet, don't be stupid,jaywalk, but look before you do it 
If it snows, go outside, build a jump, get some help
Get a sled, thrash the hill with your friends, 'til it melts 
Go to festivals, camp, fall in love and dance 
You're only young once, my loved one, this is your chance 
Take risks, cause life moves so fast 
You're only young once, my loved one, this is your chance 

I'll be patient, one more month 
You'll wrap your fingers round my thumb 
Times are changing, I know, but who am I if 
I'm the person you become 
If I'm still growing up, up, up, up 
I'm still growing up, up, up, up 


segunda-feira, setembro 28, 2015

sexta-feira, setembro 04, 2015

quarta-feira, agosto 26, 2015

terça-feira, agosto 25, 2015

Sacrifice


Amorphis-Sacrifice

segunda-feira, agosto 24, 2015

terça-feira, agosto 18, 2015

segunda-feira, agosto 10, 2015

Under pressure

"Lord, grant me the serenity to accept the things I cannot change. The courage to change the things I can. And the wisdom to know the difference." 

quarta-feira, agosto 05, 2015

Ant-Man

sexta-feira, julho 31, 2015

quinta-feira, julho 16, 2015

terça-feira, junho 23, 2015

Carregamento de baterias

 

Um breve e plácido momento de paz, antes da tormenta. Affligem para afastar as aflições. Obrigado you know who you are.

segunda-feira, junho 22, 2015

...


terça-feira, junho 16, 2015

yup

segunda-feira, junho 15, 2015

terça-feira, junho 09, 2015

Kung Fury





Don't hassle the 'Hoff!

quarta-feira, maio 27, 2015

terça-feira, maio 26, 2015

.

“Day after day, day after day, we stuck nor breath nor motion
As idle as a painted ship upon a painted ocean
Water, water everywhere and all the boards did shrink
Water, water everywhere nor any drop to drink.”

sexta-feira, maio 22, 2015

quinta-feira, maio 21, 2015

terça-feira, maio 19, 2015

quinta-feira, maio 14, 2015

quarta-feira, maio 13, 2015

terça-feira, maio 12, 2015

segunda-feira, maio 11, 2015

sexta-feira, maio 08, 2015

quinta-feira, maio 07, 2015

quarta-feira, maio 06, 2015

Capitão Falcão


Num raro intervalo do presente, eis um momento diferente. Oportunidade surgida, eis que escolhemos um filme que, apesar de tudo, deverá ter uma vida curta nas salas. O "apesar de tudo" diz respeito ao facto inegável do filme ser realmente bom! Uma ou outra aresta a limar, um ou outro "vício" expectável, mas em geral, um filme bem feito e bem divertido.  Um grande (demasiado grande para alguns) exercício de ironia, na sua pura acepção. Tão divertido como o filme é ver e ler as opiniões de quem acha que o filme faz a apologia do Estado Novo, do Salazar, da ditadura. Quando na verdade o filme não faz a apologia de nada, nem da ditadura, nem da democracia, simplesmente leva tudo à frente de uma forma bastante deliciosa.
Momentos brilhantes como o "comuninja", o disciplinar do filho Jaime, o "como reconhecer um comunista a olho nu" e, acima de tudo, a brilhante sequência do interrogatório com recurso a pastelaria variada.


Капитан Фалькао (Capitao Falcao) - трейлер por kinorota

segunda-feira, maio 04, 2015

quarta-feira, abril 29, 2015

sexta-feira, abril 17, 2015

Brace yourself

Haunted by the past that was, afraid of the future to come, unable to cope with the present that is. Way to go indeed man! Despite all your efforts you never seem to get it quite right. Try again, fail again, fail better, Beckett said. But is that what you have found? No, you cannot say that you have. Not yet apparently. Life took a crooked turn and the path you've found yourself in is narrow and rugged. The apparently well oiled lean mean machine you were conducting so far, has suddenly derrailed, and went off tracks. Brace yourself, brace yourself for the bumpy journey you're about to face.
This is your time. Yours and yours alone. Though you don't walk alone, the Gordian Knot was placed before you only. To disintagle it is proving to be a inhumane challenge, only because it seem you're lacking a sharp blade or, even if you found one, you'll be too fearful to yield it. A problem indeed. Only you have the key. A key whose whereabouts you seem to know not. Sad and terrible. Gotta press on and see what lays ahead. Press on, endure, adapt...survive.

Gunther Dünn

quinta-feira, abril 09, 2015

no it can't.

 

When you think that we've used all our chances 
And the chance to make everything right, 
Keep on making the same old mistakes 
Makes untipping the balance so easy 
When we're living our lives on the edge 
Say a prayer on the book of the dead

sexta-feira, março 27, 2015

sexta-feira, março 13, 2015

:)

It's a new day, it's a new dawn....