sexta-feira, junho 28, 2013

seeya

quarta-feira, junho 26, 2013

Incongruências

Continua a ser apropriado...

Talvez seja má vontade minha, mas é-me impossível esconder o desconforto. Uma reacção obviamente exagerada e desproporcionada, pois o ser em questão não vale a pena tamanho incómodo. Mas é mais forte que eu, e que diabos, também tenho direito a ter os meus assomos de "má vontade", aspas necessárias, pois não acho sequer que seja tal, mas adiante. A verdade é que acho que, a par do "politicamente correcto", da reacção inversa consubstanciada no "eu cá sou muito frontal!", há uma nova praga que assola a sociedade: a mania da igualdade, a mania de tratar tudo e todos pela mesma bitola. Ora, como se sabe, ou deveria saber, o tão propagado princípio da igualdade não implica, ou não deveria implicar, um tratamento igualitário cego, sem olhar a circunstâncias, vicissitudes e idiossincrasias próprias. Tratar de forma igual coisas que são diferentes é, também, uma forma de violar aquele princípio. Há situações, coisas, pessoas, que são diferentes, nada a fazer, são assim. A e B são ambas letras do alfabeto com os mesmos direitos, mas são diferentes. Pessoas há que não merecem um tratamento igual a outras, porque, simplesmente não fizeram por isso. Merecem respeito e educação, mas não o mesmo grau de preocupação e consideração que outros. Assim sendo, se já se atinge o máximo com estas pessoas, como fazer algo verdadeiramente meritório e digno de nota por aqueles que realmente merecem....no fim tudo segue pela mesma bitola e é, para acabar, basicamente incongruente.No fim será excelente tanto o burgesso que nos atormentou a existência, como aquele que a facilitou.  Mas adiante, que não vale a pena tanta chatice e corro o risco de me perder em considerações vãs e sem sentido.

sábado, junho 22, 2013

terça-feira, junho 18, 2013

DEVE DE!!!!!

Visto pela primeira vez há dias numa qualquer legendagem na televisão. Tardou mas ei-lo que chegou (ou deveria dizer "eizi-o"?). O infame "deve de". Ainda não o tinha visto escrito, só ouvido e, naturalmente lido a dor é ainda mais excruciante. Não tardará que este erro palerma se instale de vez e que se torne, afinal, a forma correcta de falar. Não tardarão a ser meia dúzia os que teimosamente resistirão ao "deve de" e que, então, serão vistos como os que não sabem, os equivocados, os "grunhos". Ai "hádem", "hádem"!
Mas, em boa verdade se diga: um país cujo Chefe de Estado se dirige aos respectivos "cidadões", conjugando o o futuro do singular do verbo "Fazer" com o inenarrável neologismo "façarei", já começa a parecer um caso verdadeiramente perdido. Escrever e falar mau português já começa, assim, a ser algo de normal.



Ai ai..."voltas-te" a falar mal de Sua Excelência. Ainda levo com a bela da coima.

segunda-feira, junho 17, 2013

O Gang do FMI


As expressões "gang assalta" e "FMI corta" na mesma página parecem estar extraordinária e não tão surpreendentemente, adequadas.

quinta-feira, junho 06, 2013

Feira do Livro

E pensar que no ano passado ainda me "queixei"....

Este ano nem sequer deu tempo para lá ir! Sinal dos tempo mesmo. Curiosa a referência a fraldas....mal sabia eu! lololol Seja como for, noto com apreço que seguiram o meu conselho de adiarem um mês a realização do evento....calorzinho é melhor não? Pois. Até para o ano!

quarta-feira, junho 05, 2013

...


terça-feira, junho 04, 2013

segunda-feira, junho 03, 2013