segunda-feira, outubro 31, 2011

Di'Anno @ Side B



E pronto...lá foi mais uma despedida. Sim, porque não acredito que volte a ver o Sr. Di'Anno ao vivo. Não que seja impossível ou improvável, e nem sequer se tratou de uma tour de despedida. Mas, tendo em conta a idade, e um estado da saúde...menos bom, vá...não sei não. Este homem precisava de estar numa casa de repouso.
Seja como for, foi o terceiro e o concerto do "desempate". O primeiro, há dez anos,em Wacken, foi muito fixe. O segundo, há uns anitos, em Corroios, foi a desgraça total, uma desastre, com um Di'Anno gordo, que se limitava a berrar e grunhir e que, aparentemente, mal se conseguia deslocar. Uma tristeza por ver uma figura tão ridícula em cima de um palco.
O concerto de Sábado, felizmente, permite-me ficar com uma boa memória do tipo que deu a voz a dois álbuns seminais da História do heavy metal, os dois primeiros de Iron Maiden, dando-lhes um rough edge, um som perigoso que, com a entrada do Bruce, os Iron Maiden deixaram de ter. Sim, o Bruce foi a melhor coisa que aconteceu aos Iron Maiden, e canta as canções do Di'Anno de forma muitíssimo competente. Mas na verdade ninguém as canta como o Di'Anno, com o carisma que ele lhes deu; pertencem-lhe, de facto. E uma oportunidade de as ouvir com aquela voz é, sempre, uma oportunidade única e de aproveitar. Desde que, claro está, as cante bem e como deve ser. Desde que cante e não grite. A dúvida estava em saber se ele ainda tinha voz para as cantar, depois do desastre do concerto anterior. Foi um risco mais ou menos calculado ir ao concerto, mas, felizmente, compensou largamente. É que não só o homem estava afinado e com vontade de cantar, como ainda por cima, surpreendeu(-me) de uma forma que não esperava possível. Foi o concerto o mais humana e historicamente possível da experiência de estar em Londres, no Ruskin Arms a assistir um concerto de Iron Maiden no início dos anos 80! Um luxo quase. A voz ainda está lá (obviamente menos forte, como é natural, para a idade), e, mesmo com tantos maus tratos, a verdade é que cumpriu o suficiente para deixar muitos de boca aberta!
Sim, é verdade, que se há-de fazer? Em geral tudo o que o homem fez depois não tem a mesma qualidade. Sim, construir uma carreira à custa de dois discos lançados em 1980 e 1981 não revela uma grande criatividade ou talento... mas que diabos! Será ele próprio o primeiro a reconhecer que é exactactamente por causa daqueles dois álbuns que ainda anda aí....são aquelas músicas que as pessoas querem ouvir na voz dele e é isso que ele nos dá. Chegou inclusivamente a agradecer ao público e aos fãs a oportunidade que ainda tem de poder andar pelo Mundo a cantar e a pôr comida na mesa lol.
Portanto, não compreendo aqueles que o colocam num trono apenas pelo facto de ter sido o vocalista dos primeiros discos de Maiden, como também não compreendo os que o deitam abaixo constantemente, por ser um "parasita", ou um "cretino" que vive à custa do passado. Não me interessa nem uma opinião nem outra. É óbvio que, por alguma razão, seja ela a droga, o alcool, a vida marginal e semi-hooligan que quis cultivar, o lado de bad boy e tough guy que sempre gostou de mostrar, seja por se ter rodeado de pessoas que não souberam aconselhá-lo, e ter "perdido o comboio", a verdade é que sabe bem ouvir a Charlotte, a Killers, a Phantom of the Opera, etc etc, com aquela voz. \m/



domingo, outubro 30, 2011

The Beauty of Simplicity

Portugal, the beauty of simplicity” foi premiado este sábado na Polónia, no Film, Art & Tourism Festival. O filme promocional turístico de Portugal foi distinguido em Varsóvia na categoria “The best film promoting country, region or city” com o segundo prémio, entre 220 filmes internacionais candidatos.
Produzido pela Krypton Films para o Turismo de Portugal, o filme é utilizado em várias acções promocionais do País, como feiras, eventos ou sessões oficiais de divulgação, além dos portais promocionais na internet e redes sociais, tendo sido apresentado em Janeiro na Fitur (Madrid). Esta ferramenta de marketing complementa ainda a campanha internacional “Portugal, the beauty of simplicity”, em curso na Alemanha, Espanha, Reino Unido, Dinamarca, França, Holanda, Irlanda, Noruega, Suécia, Rússia e na própria Polónia.
Ao longo de quatro minutos, e ao som da música composta por Nuno Maló, são apresentadas imagens dos principais “activos” turísticos do País, incluindo o mar, a natureza e a gastronomia, passando pela oferta cultural, pelo golfe, surf, pelas paisagens humanas ou pela animação nocturna.



Notícia de Junho, mas que passou despercebida na altura. Agora que este país está desgraçado, lá se lembraram disto, para levantar a moral das tropas... Mas vá, que o filme até é bem bom. :)

sábado, outubro 29, 2011

segunda-feira, outubro 24, 2011

domingo, outubro 23, 2011

sábado, outubro 22, 2011

cotton

sexta-feira, outubro 21, 2011

Job



I'm 37 years old
Married to my childhood sweetheart
Two beautiful girls, two and a half and four
Worked nine years at the plant where my father worked
And his father before him
I have a B.A. but laid off seven months ago
It's been hard tough so many others
But I still believe
Can you help, brother?
Can you help?

I need a job
I need a job
I'm willing to work
But I need a job

I stand in the street
With a sign in my hand
But I need the work
I need a job, yeah

I just returned from Afghanistan
Spent four years in the military service
I'm 24, strong and I can't find work in my hometown
I'm married with one beautiful son
Seven months old today
Never had a chance to buy a home
Can't afford the apartment we've been living in
Moving in with Debbie's parents, whose home is now in foreclosure
Can you help?

I need a job
I need a job
I'm willing to work
But I need a job

I stand in the street
With a sign in my hand
I'm willing to work
But I need a job

I'm sorry this letter is hand-written but I don't have a computer
I don't have access to one
I'm 51 years old
I lost my wife to breast cancer three years ago
Lost my job of 26 years one year later
I'm homeless with no one to turn to
I've been through a lot, bother
I heard you like to help people
Well, I need help

I need a job
I need a job
I'm willing to work
But I need a job

I stand in the street
With a sign in my hand
I'm willing to work
But I need a job

Got nothin' left
Lost it all
Can I get back to zero
Zero, zero, zero, zero, zero
I need a job

Yeah, I need a job
I need a job

And the last letter said:
I'm nine years old and homeless.
Fuck!

quinta-feira, outubro 20, 2011

MNAA

É aproveitar e visitar os Museus nos Domingos de manhã, que até isso nos vão tirar. Museu Nacional de Arte Antiga, num destes, ainda grátis, Domingos de manhã...



"S.Jeronimo" de Albrecht Durer

Em breve, se isto continuar assim:



"Os filisteus atacados pela peste" de Nicolas Poussin

quarta-feira, outubro 19, 2011

Amebix



Animated video created by Andy (Leffer) Lefton and directed by Fin McAteer.
Um dos melhores videos que vi nos últimos tempos.

terça-feira, outubro 18, 2011

Viva a crise pá!!










É interessante a menção a Subsídios de Férias e Natal para os integrantes dos Serviços da Assembleia da República (Os serviços da Assembleia da República, dirigidos pelo Secretário Geral, constituem o suporte técnico, de gestão administrativa e financeira, que apoia a Assembleia da República no desenvolvimento da sua actividade própria e são regidos pela Lei n.º 28/2003 de 30 de Julho).
Ao que parece, não são só os funcionários do Banco de Portugal que têm um regime áparte.

Life is good...

...when you're President!


Será que me posso candidatar a estas viagens pagas? Está bem que são só dois dias...mas pronto, é melhor que nada...sempre estamos em crise!

domingo, outubro 16, 2011

The Three Musketeers MkIV


E eis a quarta versão do clássico intemporal de Alexandre Dumas. Pelo menos a quarta versão que vi, sem contar com a ainda mais intemporal série "Dartacão e os Três Moscãoteiros" lol. É óbvio que, depois de três excelentes versões no passado, em 2011 tinham de fazer alguma coisa de novo. Porém, o facto de esta história já ter sido tantas vezes adaptada é um bom indício de que JÁ ESTÁ BOA ASSIM, não precisa de mais ingredientes mirabolantes. E de facto, esta nova versão, engloba aspectos dos "Piratas das Caraíbas" (ninguém me tira da cabeça que o Buckingham de Bloom é um Jack Sparrow ligeiramente mais contido), The Matrix, James Bond, quiçá algum Júlio Verne.
Sim, é uma salada explosiva, demasiados ingredientes e condimentos fazem antever uma digestão difícil, ou pior. Mas vá...até se vê com agrado. Está certo que i'm a sucker pela história de Dumas, mas ainda assim, objectivamente, é um filme interessante q.b. Fica, naturalmente, atrás das outras adaptações, mas não é assim nada de grave. Entretenimento puro e não adulterado, com uma imensa liberdade de interpretação da obra de Dumas, da época histórica e das personagens envolvidas. Ou seja, não é suposto ser um filme historicamente certo e criticaram-no por tal é, a meu ver, uma pura perda de tempo. Os três mosqueteiros são competentemente desempenhados pelos respectivos actores, o D'Artagnan fez-me lembrar o Cristiano Ronaldo e a Milla Jovovich, enfim, é gira e tal. Mas a verdadeira pérola está nos "maus da fita". Christoph Waltz ,Madds Mikkelsen e Orlando Bloom: Richelieu, Rochefort e Buckingham (diabos me levem se não é a melhor interpretaçãod e Bloom no ecrã lol).
E pronto, filme inofensivo que dispõe bastante bem.

sexta-feira, outubro 14, 2011

E só para acabar:

Cabrões. Todos.

Moda Crise Funcionário Público 2011-20...


À luz do estado de coisas actual, o Governo exige que o funcionário público aperte ainda mais o cinto. Porém, como isto de mandar fazer buracos extra no cinto é algo só ao alcance de alguns magnatas, sugere-se que o anafado e despesista funcionário público passe a usar um cinto sem furos, rapidamente ajustável à catadupa de medidas de austeridade que por aí vêm.
Todavia, e pese embora este esforço criativo dos designers e criadores do mundo da Moda, há quem já se tenha adiantado à situação, revelando um verdadeiro estado de espírito empreendedor e visionário. "Cintos sem furos são uma boa ideia", dizem os criadores Pedro M. Erkel Coelho, "mas o verdadeiro futuro está aqui!"


"É uma solução ideal para o funcionário público para a época 2011-20...". Com efeito este inovador artefacto permite não só substituir o uso de um cinto, utensílio que, em breve será visto como um símbolo ostentatório e revelador de riquezas, como permitirá usos diversos e da mais variada utilidade:


Viva a crise!


Novo aditamento à Constituição da República Portuguesa. O Governo decidiu aplicar um "piqueno" intervalo no que diz respeito à aplicação da Constituição, enquanto durar o lambecusismo económico-financeiro. Um pequeno intervalo, uma ligeira suspensão do Estado Constitucional. Afinal a Ferreira Leite tinha alguma razão: cá está a suspensão do Estado de Direito de que ela tanto falou. Infelizmente será por mais de seis meses...

Symphony X & Cia

O power metal progressivo é, provavelmente, um dos sub-géneros mais diversos musicalmente e, ao mesmo tempo, acessíveis no espectro da música pesada. Fundindo os arranjos cerebrais dos Rush, a técnica dos Deep Purple e a negritude dos Black Sabbath, o género tem-se afirmado ao longo das duas últimas décadas como um dos mais prolíficos e aplaudidos entre as hordas de apreciadores de heavy metal que não se querem limitar apenas ao óbvio. Os norte-americanos Symphony X são um dos porta-estandartes da tendência, um grupo que prova – ao contrário de muitos dos seus competidores mais directos – que técnica não tem obrigatoriamente de ser sinónimo de exibicionismo instrumental. Apesar de serem músicos de excepção, ao nível daqueles que conseguem pôr uma plateia de pares a questionar as suas capacidades, o quinteto também consegue escrever canções muito bem estruturas, com princípio meio e fim e com ganchos que agarram o ouvinte pelo colarinho do primeiro ao último momento. Famosos pelos seus concertos arrebatadores e cheios de garra, é precisamente isso que se espera deles quando apresentarem a novidade «Iconoclast» nos palcos da Incrível Almadense e do Hard Club, nos dias 14 e 15 de Outubro, respectivamente.






quinta-feira, outubro 13, 2011

A Crise II


A crise aumenta cada vez mais. A situação torna-se cada vez mais insustentável neste pobre e desgraçado país. O crédito mal parado galopa livremente pelos prados financeiros, os credores desesperam, os devedores e "entalados" em geral cada vez mais se mostram menos capazes de respeitar as dívidas e respectivas obrigações. É natural que situações deseperadas levem a soluções drásticas, mas, penso que é entendimento pacífico, que ISTO é já demais, é esticar a corda do decente e do humanitariamente correcto. Os credores já começam a lançar mão à guerra química, a armas biológicas, ao puro e duro gaseamento dos devedores, num desrespeito flagrante da Convenção de Armas Químicas e do Protocolo de Genebra de 1925, efectivado desde 1997 através da Organização Para a Proibição de Armas Químicas. É o retrocesso civilizacional em Portugal. "Ou pagas, ou mandamos uns tipos gasear-te!"
O ultraje às regras internacionais já foi publicamente denunciado na ONU. Passos Coelho aproveitou o dia 13 de Outubro para ir em peregrinação a Fátima pedir perdão.

terça-feira, outubro 11, 2011

Chronology



Crazy, Stupid Love


Filme razoavelmente bem disposto, quase merecedor do epíteto de "filme de Domingo à tarde na TVI". Safa-se desta etiqueta pelo bastante engenhoso e divertido plot twist final que abana eficazmente a história e os espectadores mais ou menos adormecidos. Não está mau, mas ver-se-ia bem num dia qualquer na TV. Destaca-se...err...bom, nada, em boa verdade. É bastante linear até à tal reviravolta final.


segunda-feira, outubro 10, 2011

WALK



Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?
Learning to talk again
Can't you see I've waited long enough
Where do I begin?

sexta-feira, outubro 07, 2011

quinta-feira, outubro 06, 2011

1/15