terça-feira, janeiro 31, 2006

Salvo melhor opinião...II

Ubi Lex Non Distinguit, Nec Nos Distinguere Debemus




Ou, em linguagem leiga, e como dizia um colega meu na Faculdade: "Tá tudo na lei pá!!" Critério interessante e ainda mais útil na ultimamente muito produtiva e laboriosa actividade de elaboração de pareceres jurídicos!


Eh eh eh!




.

Salvo melhor opinião...

"Talvez dizer-te que procuras demasiado? Que enquanto procurares nunca conseguirás encontrar? Quando alguém procura, pode acontecer que os seus olhos vejam apenas a coisa que ele procura, que não permitam que ele a encontre porque ele pensa sempre e apenas naquilo que procura, porque ele tem um objectivo, porque está possuído por esse objectivo. Mas encontrar significa ser livre, manter-se aberto (...). Perseguindo o teu objectivo, muitas vezes não vês aquilo que está perante os teus olhos."


Herman Hesse, in Siddartha

segunda-feira, janeiro 30, 2006

29 de Janeiro de 2006

Neve em Portugal. Não que isso seja assim tão estranho,mas nunca pensei chegar à janela de minha casa e vêr cair...NEVE. Por muitos transtornos que traga, a verdade é que é sempre um espectáculo digno de se ver. Por algum tempo -ainda que por meros minutos em Lisboa- tudo é 'limpo' por um manto branco.






sexta-feira, janeiro 27, 2006

Now Playing...

Booth And The Bad Angel



quarta-feira, janeiro 25, 2006

Portugal, Portugal

Tiveste gente de muita coragem
E acreditaste na tua mensagem
Foste ganhando terreno
E foste perdendo a memória

Já tinhas meio mundo na mão
Quiseste impor a tua religião
E acabaste por perder a liberdade
A caminho da glória

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Tiveste muita carta para bater
Quem joga deve aprender a perder
Que a sorte nunca vem só
Quando bate à nossa porta

Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar

Fizeste cegos de quem olhos tinha
Quiseste pôr toda a gente na linha
Trocaste a alma e o coração
Pela ponta das tuas lanças

Difamaste quem verdades dizia
Confundiste amor com pornografia
E depois perdeste o gosto
De brincar com as tuas crianças

Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar


terça-feira, janeiro 24, 2006

Rant #5

Alguns candidatos presidenciais vão ter de recorrer a empréstimos bancários para pagar as lautas campanhas que fizeram. Outros contam com a ajuda financeira disponibilizada pelos respectivos partidos. Isso dá-me que pensar. Com que legitimidade a classe política e governante espera que o povo faça sacrifícios e poupe se eles não fazem? Como se pode condenar o povo português por recorrer cada vez mais ao crédito e 'gastar o que não tem', quando 'eles' não dão o exemplo?

Quase 4 milhões de euros vão ser distribuídos pelos candidatos que tiveram mais de 5% de votos. E ainda assim não foi suficiente para alguns deles. Será necessário gastar assim tanto dinheiro? Principalmente quando a tão propagada crise ainda está instalada? Sinceramente não vejo melhor exemplo de dinheiro terrivelmente mal empregado.

Mas isso sou só eu se calhar. Desculpem o tom negativo, mas tinha mesmo de ser.

Slow Down Week

"TAKE THE TIME"
(Dream Theater)

"Hold it now...
wait a minute...
come on... whew..."

Just let me catch my breath...
I've heard the promises
I've seen the mistakes
I've had my fair share of tough breaks
I need a new voice, a new law, a new way
Take the time, reevaluate
It's time to pick up the pieces,
Go back to square one
I think it's time for a change

There is something that I feel
To be something that is real
I feel the heat within my mind
And craft new changes with my eyes
Giving freely wandering promises
A place with decisions I'll fashion
I won't waste another breath

You can feel the waves coming on
(It's time to take the time)
Let them destroy you or carry you on
(It's time to take the time)
You're fighting the weight of the world
But no one can save you this time
Close your eyes
You can find all you need in your mind

The unbroken spirit
Obscured and disquiet
Finds clearness this trial demands
And at the end of this day sighs an anxious relief
For the fortune lies still in his hands

If there's a pensive fear, a wasted year
A man must learn to cope
If his obsession's real,
Suppression that he feels must turn to hope

Life is no more assuring than love
(It's time to take the time)
There are no answers from voices above
(It's time to take the time)
You're fighting the weight of the world
And no one can save you this time
Close your eyes
You can find all that you need in your mind

I close my eyes
And feel the water rise around me
Drown the beat of time
Let my senses fall away
I can see much clearer now, I'm blind

Find all you need in your mind
If you take the time
Find all you need in your mind
If you take the time

sexta-feira, janeiro 20, 2006

2.Museu do Prado

E Madrid também!!!!!

Diego Velásquez

"As Meninas (As Damas de Honor)", 1656/57

Madrid, Museo del Prado

Francisco José de Goya

"A Familía de Carlos IV", 1800

Madrid, Museo del Prado

quinta-feira, janeiro 19, 2006

1.National Gallery



Hans Holbein, O Jovem

"Os Embaixadores (Jean de Dinteville e Georges de Selve)", 1533

Londres, National Gallery


Pieter Brueghel

"A Adoração dos Magos"

Londres, National Gallery

Jan Van Eyck

"Retrato de Casamento"

Londres, National Gallery

sexta-feira, janeiro 13, 2006

Away is the WAY

O encanto está mesmo na hora da partida...

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Profile

Bola Oito
Apenas mais uma bola no meio de tantas em jogo...
About Me

Name:Bola Oito
Location:Mesa de bilhar
Pouco a dizer que não se saiba já. Calço 43, meço 1m87cm e tou a engordar.
View my complete profile




TRY HARDER!!!!!!!!!!!!!!!!!!





.

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Rant #5

Afinal para que é que serve a merdice da opção 'preview'???!! Whatdafuk? Montes de merdices nos computadores em que um gajo faz e escreve e depois tem a graciosa oportunidade de 'ver antes' para verificar se está tudo bem.....tudo muito bonito e simpático. Mas para quê se não funciona!???? Quantas vezes não estou eu a ultimar as últimas 'demãos' num post aqui no blog, faço 'preview', concordo, publico e depois vou ver ew tá tudo marado!!???? Cum camandro pró raio que os parta mais as 'previews'!
Tantas vezes no WinWord carrego na lupazinha de merda e tá tudo ok, e depois imprimo um farrapo sujo com nada em comum com aquilo que eu 'previ'?
E aquelas situações em que se vê uma coisa no ecrã e depois não corresponde em nada ao resultado final?

Isto dos computadores e afins deve ser é uma seita maléfica: ou se está com eles ou se está contra!


Argh!
Ok. Rant over. Continuai a ler sobre os Deep Purple embaixo.

Deep Purple – “Rapture Of The Deep”

Terei ouvido falar em ‘Maior Banda de Rock’n’Roll” de sempre? Não, é claro que não. Felizmente os Purple estão a borrifar-se para isso e continuam o seu percurso certo e seguro iniciado em finais dos anos 60.
Que dizer dos Purple? Antes e primeiro que tudo: é preciso vê-los ao vivo, a actuarem e a tocarem para realmente conseguir perceber o tesouro musical que esta banda é. É do género que faz parecer tão fácil e simples que dá vontade de pegar num instrumento e subir para o palco. Obviamente que logo se verifica que não se trata de simplicidade o que se está a ver, mas sim, suprema excelência dos músicos.
Do que ouço em disco, e do que vi no passado mês de Julho ao vivo, verifica-se que estamos na presença de 5 músicos que conhecem profundamente o que estão a tocar, as suas próprias habilidades e até onde podem ou não podem ir. Domínio total do ‘negócio’, o que contribui totalmente para uma prestação fabulosa, mas ao mesmo tempo descontraída e ‘com um pé às costas’.

O hard-rock puro e duro foi algo deixado para trás, substituído (ou adicionado) por uma abordagem muito mais rock ‘n’ roll, com alguma dose de funk à mistura. O Ian Paice continua a ser o baterista por excelência, ajudado em grande medida pelo baixo seguro e certo do Roger Glover (ver este senhor em cima do palco é um verdadeiro prazer, tal é a atitude dele). Steve Morse continua a ser um mago na guitarra, grande responsável pela abordagem mais ‘bluesy’ e rock ‘n’ roll; felizmente, ao substituir o lendário Ritchie Blackmore, Morse conseguiu imprimir algo de pessoal, o seu próprio cunho, em vez de tentar emular o Blackmore. Nas teclas e afins Don Airey, que substituiu o Jon Lord há relativamente pouco tempo, não deixa os seus créditos por mãos alheias e cumpre eficazmente (afinal o homem já tocou com os Black Sabbath, Rainbow, Whitesnake e Ozzy Osbournee levou os Katrina & The Waves à vitória na Eurovisão em 1997...LOL). E por fim, o gentleman em pessoa, a Voz (qual Sinatra qual carapuça): Ian Gillan. A imagem do profissionalismo e simpatia em cima do palco. Quem dera a muitos cantoreszitos ter a voz que ele tem agora...quem dera a muitos terem a voz que ele tem agora com a idade que tem.

Acabaram de lançar o seu último álbum, “Rapture of the Deep”, mantendo ainda os elevados padrões de qualidade a que já habituaram os fãs. Já há poucas bandas assim. Definitivamente, a meu ver, a melhor banda de rock'n'roll que está por aí. E sempre esteve. Está certo que tanto o Ritchie Blackmore (criador 'daquele' riff de guitarra que todos, TODOS, os aprendizes de guitarra querem tocar), bem como o Jon Lord, (reponsável pela ideia peregrina de ligar amplificadores eléctricos ao órgão e criador, porque não dizê-lo, do som 'seventies'), já não estão na banda. Mas a verdade é que a banda soube unir-se e recriar-se à luz dos novos tempos e oferecer ainda uma banda criadora de música nova e inovadora ainda 'dona' de um som muito próprio e personalizado. Há quem diga certamente que 'não trazem nada de novo'....mas desde quando é que o 'rock'nroll tem de trazer algo de NOVO?

sexta-feira, janeiro 06, 2006

Rant #4

Mas que raio se anda a passar na cabeça do peão nas nossas ruas e estradas? Ultimamente denoto uma mania assaz irritante que me deixa a pensar que a falta de civismo rodoviário se aplica não só aos condutores, mas também a esses seres não motorizados que pululam pelas cidades. Os peões estão a assumir as piores características dos condutores mais raivosos que por aí andam. Aparentemente pensam que, por serem o que são, detém o direito real de passagem preferencial acima de tudo e todos. É um raciocínio estranho e algo suicida parece-me...porque se os condutores que assim pensam apenas se arriscam a ficar com a 'lataria' amolgada, os peões, por sua vez, arriscam-se a umas mazelas e dorzitas maiores. E nem sempre há aspirina que os safe.

Já nem falo das crianças que largam a correr sempre que vêem uma estrada (dardos tranquilizantes deviam ser um acessório obrigatório em cada carro); já nem falo dos nossos cidadãos seniores (tentativa ridícula de ser politicamente correcto, eu queria dizer velhadas) que pensam que ainda estão no tempo das carroças e trotinetas e que se limitam a atravessar ignorando tudo e todos; ou aqueloutros que aguardam pacientemente junto a um semáforo aberto para eles, para escolherem atravessar quando finalmente fica verde para os carros.

Não!

O que me irrita sim, são aqueles mongolóides com a capacidade cerebral dum contentor do lixo que se põem á beira do passeio, seja com passadeira ou não, já com um pé na estrada e outro no lancil, assumindo a postura de 'peão atravessador', mas depois NÃO ATRAVESSAM! No entanto já obrigaram o condutor a parar, porque é um condutor consciencioso e porque sabe que se apenas amarrotar a roupa do peão está completamente lixado. Metem-se ali, um gajo pára para deixar suas excelências passar e depois os sacanas vão-se embora ou olham para o outro lado ou, pior, riem-se e fazem o gesto para avançar com uma das suas extremidades braçais. Neste caso um espigão para dar choques eléctricos no gado devia ser o acessório obrigatório.

É que um gajo a conduzir nunca sabe se o idiota do peão em causa não escolhe precisamente esse momento para praticar o já tão em voga desporto radical de "atira-te para a estrada".
Tal actividade caracteriza-se de facto pela sua natureza iminentemente citadina e urbana. Extraordinariamente adequada para aqueles que nem sempre têm tempo ou dinheiro de se atirarem de uma qualquer ponte presos pelos elásticos das cuecas ou para irem fazer 'snorkel' para as cataratas do Niagara.

O cúmulo atingi-o eu o outro dia quando ao aproximar-me duma passadeira vi um mastodonte à beira da mesma, tendo inclusivamente olhado para ambos os lados (devia estar a afastar as moscas). Parei e a megera deixou-se ficar e ainda por cima olhou para outro lado. Vi-me forçado a recorrer á buzina, uma, duas, três vezes até que a ruminante se dignou a virar os seus mortiços olhos para mim, a dar meia volta e afastar-se. Entretanto já tinha feito parar quatro carros. Será uma nova modalidade? Conseguirão pontos por carros enganados e parados?

Não sei. Mas aquele jogo "Carmageddon" começa a ser realmente interessante!

terça-feira, janeiro 03, 2006

New Horizons

Living in the city
Living on my own

Os 10 + de 2005

Finalmente chegou a hora de revelar a lista dos 10 melhores de 2005. Visto que já há demasiados blogs aqui da vizinhança que optaram por revelar a respectiva lista ao ritmo do caracol da alface eu decidi não fazer suspense (não quero provocar travadinhas a ninguém...lol) e colocar a lista de imediato e completa.
Assim, sem mais delongas, e sem qualquer ordem especial, salvo o primeiro lugar, que é, efectivamente, o melhor de 2005:


1. Opeth - "Ghost Reveries"
2. Masterplan - "Aeronautics"
3. Arcturus - "Sideshow Symphonies"
4. Bruce Dickinson - "Tyranny Of Souls"
5. Mostly Autumn - "Storms Over Still Water"
6. Demons & Wizards - "Touched By The Crimson King"
7. Kamelot - "Black Halo"
8. Nevermore - "This Godless Endeavour"
9. Deep Purple - "Rapture Of The Deep"
10. Rammstein - "Rosenrot"


Também decidi não falar nem justificar as minhas escolhas. Alguns destes discos já foram adequadamente 'dissecados' aqui. Os restantes poderão vir a sê-lo caso me aprouver.
Este ano foi bastante prolífico. Obrigado à internet (lol) que me permitiu ter acesso a tantos álbuns deste ano! Ehehehehehe. Como tal, este foi dos anos em que mais produção ouvi. De tal maneira que queria ainda mencionar outros tantos que ficaram 'à beira' dos '10 +'.

11. Black Majesty - "Silent Company"
12. Vanishing Point - "Embrace The Silence"
13. Primal Fear - "Seven Seals"
14. Place Vendôme - "Place Vendôme"
15. Oliver Hartman - "Out In The Cold"
16. System Of A Down - "Mesmerize/Hypnotize"
17. Allen/Lande - "The Battle"
18. IOMMI - "Fused"
19. Judas Priest - "Angel Of Retribution"
20. Dream Theater - "Octavarium"

E pronto. Mais uma série de informações inúteis para vossa distracção!

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Rant #3

Considerai a discoteca/papelaria/livraria Sinfonia na Avenida de Roma.

Que raio é aquilo afinal? Hem? Os preços praticados por estes senhores são de tal ordem que já cheguei a ver uma diferença de 6 euros mais caro em determinados itens, nomeadamente cd’s e dvd’s. Aquela montra é de partir o coco a rir, e aquela secção de descontos é de chorar a rir!
Apetece perguntar aos senhores como é que raio conseguem sobreviver! Será que têm efectivamente clientes? Mas quem diabo está disposto a pagar aquela quantidade de dinheiro por uma coisa que pode comprar noutro lado mais barata?
Qual é o conceito desta loja!? Devem julgar que, tal como as mercearias de bairro se podem dar ao luxo de encarecer as coisas uma vez que as pessoas recorrem a elas como solução de última hora e de emergência, também uma loja daquele género pode fazer o mesmo. Na parte da papelaria não contesto, mas no que diz respeito a cd’s e dvd’s.....quer dizer...não percebo. Eles estão à espera que os moradores daquela zona estejam muito bem em casa e de repente digam: “Caraças! Esqueci-me de comprar o último cd do Ramazotti. Preciso dele JÁ! Vou ali à Sinfonia. Pago mais 1000 paus, mas tenho-o JÁ!!!”
Deve ser isso de certeza. É que pela simpatia e eficiência de atendimento não é MESMO. Das poucas vezes em que entrei na lojeca havia uns cepos com olhos a atender. Grunhiram qualquer coisa.

Enfim. Coisas.